Líder cego + ovelha cega = abismo para os dois.

Ouvi uma história de um irmão que fez a seguinte pergunta a um pastor: “Meu pai é uma pessoa sincera, mas está numa igreja que não segue a palavra. O que acontecerá com ele?”. Esse pastor então lhe disse: “Jesus afirmou que se um cego guiar outro cego, ambos irão cair no barranco. Tanto o pastor cego que guia, quando o membro cego que é guiado”. Eu sei que parece duro, mas é a verdade.
      “Por que você continua indo num lugar em que o pastor rouba o dinheiro do povo”, foi a pergunta feita a um irmão. Que respondeu nos seguintes termos: “Não me importa o que ele faz com o dinheiro, porque eu dou para Deus. Se ele rouba, problema é dele”. Mas isto é um grande engano, pois em Mt 23:19 Jesus diz que o altar santifica a oferta. Naquela época havia dois tipos de altar. Altares aos outros deuses e o altar que havia sido consagrado ao Senhor. De modo que se um altar consagrado abençoa o ofertante, um altar maldito amaldiçoa. 

Antes de dizer: Heverton, pare, por que ai daquele que se levanta contra o ungido! Continue lendo, ok? XD 



      Quem consagra o altar? Em Nm 7, esta missão foi dada a Moisés juntamente com os cabeças de Israel. Portanto são os lideres do povo através de suas vidas santificadas que consagram o altar. Sendo assim, um pastor que anda de acordo com a palavra do Senhor é instrumento de benção, enquanto que aquele que vive em pecado só pode trazer desgraças para todos aqueles que estão com ele. Por causa de Jonas aqueles que permaneciam no mesmo barco estavam indo para o buraco. E olha que ele nem era um falso profeta, apenas um profeta desobediente. Agora, se um profeta que é de Deus, mas está em desobediencia pode trazer maldição a quem vive sob sua liderança, quanto mais um lobo em pele de ovelha. 
      Não existe nada neutro no mundo espiritual. Se algo não abençoa então amaldiçoa: “Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha” (Mt 12:30). Já ouviu aquela frase; “Diga-me com quem tu andas e eu te direi quem tú és”? Pois bem; ela não é biblica, mas é verdadeira. Até na lei dos homens, se você é pego com um ladrão, mesmo sem ser participado do crime poderá responder como cúmplice. 
      Não podemos abandonar nossos lideres por conta de um deslize, pois quem não tiver pecado que atire a primeira pedra. Porém isto não quer dizer que só porque alguém é pastor ele tem o direito de permanecer no erro. Portanto, este negócio de seguir seu líder cegamente é um perigo que pode te levar para o mesmo abismo que ele. 



Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Crente também é gente!


Leia Sl 102:1 O Livro de salmos, apesar de poético, é extremamente experimental. Não foi escrito por intelectuais sentados em seus escritórios que tentavam arranjar as palavras certas para escrever algo bonito, e sim por homens que enfrentavam a vida. As poesias de muitos são frutos de pensamentos e devaneios, os salmos resultam de angustias e orações. Portanto, os salmos, como toda a bíblia, é prático e relevante para nós hoje.
     Quero, tomando como ponto de referencia o salmo 102, dar algumas características deste livro maravilhoso, para que através do olhar dos salmistas possamos viver melhor nossa jornada rumo ao Criador.



1-Os Salmos é um livro que mostra a humanidade dos homens de Deus


     Os salmos é um livro de gente que ri e que chora, que clama e ora. Que num momento brada em louvores a Deus e noutro chega até a discutir com o Senhor. Pois veja, a expressão “Até quando Senhor?” é usada várias vezes neste livro.
     O livro de Samuel conta a história do herói Davi, enquanto que os salmos mostram o lado humano do rei de Israel. Em Samuel Davi está de pé com as pedras para enfrentar o gigante. Nos salmos Davi está prostrado em oração com medo dos seus adversários. Em Samuel temos Davi com uma coragem inabalável, em salmos com uma oração angustiada.
     O nosso problema é que agente só sabe ler Samuel, o livro dos heróis, e achamos quase proibido, gemer, duvidar, clamar e se angustiar como os salmistas. Mas eu quero te dizer uma coisa: Davi só foi herói em Samuel, porque primeiro ele foi gente nos salmos. Ele só teve coragem diante de Golias porque primeiro sentiu medo diante de Deus.
     Uma coisa que me impressiona em Jesus é a sua capacidade de ser gente. Ele chora, ele se surpreende (Mt 15:28), ele vai a uma festa de casamento, ele fica com medo e ele até passeia (Jo 10:23).
     Fale a verdade; se você fosse inventar um deus, você o faria como Jesus? Acredito que não, e é por causa da humanidade de Cristo que eu creio em sua divindade. Um ser como ele jamais teria sido inventando pela lógica humana. Nenhum Deus é tão humano como o nosso, e por isto unicamente divino.
     Quero te fazer um convite: vamos ser mais gente. Vamos chorar mais, vamos revelar nossos medos, nossas angustias e quem sabe, sendo mais humanos nos tornemos mais divinos.

2-Os salmistas sempre buscavam a Deus


     Buscar, clamar, suplicar são palavras registradas no livro de salmos. Podemos dizer que é um livro que foi escrito de joelhos.
     Davi foi alguém que fez muita lambança na vida. Se fingiu de louco em Gate, mentiu e deixou 85 sacerdotes morrerem. Devido a um erro,- fazer um censo que Deus não queria- 70 mil homens morreram e sem contar o famosíssimo caso com Bate-Seba.
      Mas sabe o diferencial dele? Como todos os salmistas, aconteça o que acontecer ele sempre buscava a Deus. Diante de um problema Saul buscava a macumbeira, outros reis pediam ajuda para o Egito e alguns mais confiavam em si mesmos. Com o filho de Jessé a história era outra.
     

Se ele Ia para a batalha, clamava a Deus por força.
Se vencia a batalha, buscava a Deus em gratidão.
Se enfrentava o pecado pedia a Deus por livramento.
Se caia, buscava a Deus por graça.

 Sim, porque alguns até buscam a deus para não pecar, entretanto fogem depois que pecaram.Davi, entretanto, cria no perdão de um jeito tremendo. No sl 101:7 ele diz: “o que profere mentiras não permanecerá ante os meus olhos”. Quem é ele para dizer isto? Cara de pau? Não, cara de sangue, sangue do cordeiro.
      Em At 10:4 Deus diz as orações de Cornélio subiram a Deus. Ora, então quer dizer que algumas não sobem. Por que? Primeiro, porque está em pecado (Is 59:2) e segundo porque não recebe perdão. Se você está em pecado, arrependa-se. Se você já se arrependeu, creia, creia na misericórdia do Senhor.

3-Os salmos mostra que a vida não é feita somente de verão


      Sl 102:2 “No dia da angustia”. O cristianismo verdadeiro não diz que não iremos sofrer. Todos os seres humanos, crentes e ímpios vão passar por verão e inverno, é normal, faz parte da vida.
      Se tem uma história que me impressiona é o dia que Jesus chora por Lázaro. Ele sabia que Lazaro ia ressuscitar e ainda assim chorou. Ou seja; ter fé não é deixar de ser sentimento.
      A vida de muitos é somente inverno porque eles pensam que só existe verão. Não fique triste porque você está triste, todos choram um dia. Mas saiba que “o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã”.

4-Os salmos revelam a fraqueza do homem e a grandeza de Deus


     Até o verso 12 Davi está descrevendo a sua situação de homem: angustia, medo, doença, insônia. Entretanto no verso 12 ele diz: “Tú porem, SENHOR”. Davi diz no verso cinco: Eu to me secando, mas o Senhor não tem fim. Tá aí o que a gente precisa aprender diariamente: a grandeza de Deus.



Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Salvação: Familiar ou Individual

Paulo disse para o carcereiro de Filipos “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” (At 16:31), mas muitos pastores estão dizendo isto para todo mundo e inventando a teologia da salvação familiar, fato este que não condiz com o ensino bíblico. Há muitas coisas que Deus disse para uma pessoa em particular e não para a humanidade toda. Por exemplo, Jesus falou para o jovem rico: “Vende tudo o que tem e dá aos pobres”. Mas isto então significa que todos devem fazer o mesmo? Claro que não, pois para Salomão ele afirmou justamente o contrário: “Pede tudo o que quiser”. Deus ordenou a Jeremias que não se casasse, mas não disse o mesmo para mim.  

Agora, se começarmos a interpretar a bíblia do jeito que bem entendemos pegando um versículo isolado e estabelecendo doutrina em cima dele, também teremos que aceitar as muitas heresias que seguem a mesma norma. Os homossexuais dizem que o contato entre homens e homens é permitido porque “está escrito” que Davi disse acerca de Jonatas:“Excepcional era o teu amor, ultrapassando o amor de mulheres” (II Samuel 1:26). Os católicos declaram que podemos sim ter imagem, visto que Deus mesmo fez a serpente de bronze e ordenou que o povo olhasse para ela. E as mentiras em cima da verdade não param. Portanto, sigamos o velho e bom exemplo de Jesus que respondeu a argumentação bíblica do diabo que citou as escrituras quando disse: “Está escrito” com um grande “também está escrito”.      

No passado Deus salvou muitas famílias sim, e como ele agiu ontem pode agir hoje, mas não me diga que há uma promessa para você na bíblia acerca da salvação da sua família. O que falo é confirmado por Jesus que disse em Mt 10:24 “Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra. Assim, os inimigos do homem serão os da sua própria casa”. O que nosso Mestre está dizendo é que com a conversão de alguém o que iria acontecer não é a união da família, como é ensinada em muitas igrejas, e sim um baita de um racha. Eu já vi muito disto acontecer.Ouvi a história de uma moça que era de família católica roxa. Ela se converteu. O que se sucedeu daí? Todo mundo fez o mesmo? Não, a jogaram para fora de casa.      
Havia mulheres querendo saber o que fazer em relação ao fato de estarem casadas com homens ímpios. Paulo as aconselhou a não pedirem a separação, mas caso o marido deseje, então elas estão libertas para isto. E com base nesta ordem, afirmou:“Pois, como sabes, ó mulher, se salvarás teu marido? Ou, como sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?” (I Co 7:16). Em outras palavras, o que ele está dizendo é: “Se ele quiser se divorciar que faça-o, pois não há nenhuma garantia de sua salvação. E agüentar um marido ímpio em casa é um fardo que você não precisa suportar”.      Mas dizendo uma coisa destas você não está tirando a fé das pessoas e as colocando num poço de desespero? Não! Primeiro porque a fé vem por ouvir a verdade e não a mentira. Segundo, porque estou consolando e não oprimindo ao falar o que a bíblia fala. Isto porque tem muito crente se sentindo acusado por não ter visto um parente seu se converter. Ele ouviu que a “bíblia diz” que a salvação da sua família é algo certo, mas como isto não aconteceu e a bíblia não falha, o que ele conclui automaticamente é que o problema está nele. 
Mas alguns ao invés de colocar a culpa em si a empurram para Deus, sendo que na realidade deveriam jogá-la nas costas destes mestres que ensinam o que Jesus não ensinou.


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Premio Dardos

Olá leitores e amigos deste blog, é com grande prazer e satisfação que compartilho com todos vocês a indicação de Pra. Raquel Davis do Blog Capuccino com Fé. Com essa indicação o blog do heverton recebe  o:


”Prêmio Dardos” 

Estamos extremamente felizes por isso! 





A História do Prêmio Dardos:


O “Prêmio Dardos” foi criado pelo escritor espanhol Alberto Zambadeque, em 2008 concedeu ao seu blog “Leyendas de El Pequeño Dardos” o primeiro Prêmio Dardo e também a quinze blogs selecionados por ele. Ao divulgar o prêmio, Zambade solicitou aos blogs premiados que também indicassem outros blogs ou sites considerados merecedores do prêmio. Assim a premiação se espalhou pela internet.



Segundo o seu criador o “Prêmio Dados” destina-se a “Reconhecer os valores demonstrados por cada blogueiro diariamente durante seu empenho na transmissão de valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. Demonstrando, em suma, a sua criatividade por meio do seu pensamento vivo que permanece inato entre as suas palavras”.


Eis minhas indicações:

           Cristaneando                                           Dr. Francisco Gois                           

              

           Blog do Ed                                                   Manancial JC 


             

       Blog Capuccino com Fé                             Olhar Cristão

            

           Sigo O Caminho                              Espada de Dois Gumes

            

      Escritura da Verdade                                  A escriba do Rei

             

       Caminho Plano                                          Peregrino e Servo

         

Adolescentes de Deus 

Para você que recebeu minha indicação segue abaixo as instruções: 


Regras:
*Exibir a imagem do selo no seu blog;
*Linkar o blog pelo qual recebeu a indicação;
*Escolher outros blogs (de 10 à 20) para receber o Selo Dardos;
*Avisar aos escolhidos.

Agradecemos mais uma vez a Pra. Raquel Davis, que sempre passa aqui no blog e deixa seu carinho. Obrigado!

Agradecemos também a UBE, pelo investimento na divulgação da palavra de Deus pela Internet. 

Equipe blog  do heverton

Quanto um crente peca?

 I Jo 3:9 “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus”.
    A evidência do novo nascimento não está numa confissão verbal e sim num estilo de vida. A confissão é o meio que declararmos o que cremos, mas o nosso estilo de vida é a maneira que comprovamos a nossa fé.
    Mas é aí que muitos crentes genuínos são enganados pelo diabo. Não viver em pecado, ou como diria João, não viver na prática do pecado, é bem diferente de dizer que nós não pecamos em hora nenhuma.



    Veja, por exemplo, um bebê. Enquanto ele está aprendendo a caminhar, ele tropeça muito e cai em muitos momentos. Mas nós dizemos que ele está morto por causa disso? Não, apesar dos muitos tropeços ele está vivo, porque quem está morto não tenta caminhar e nem pode.
    Por outro lado, vejamos um adulto, aquela pessoa que já aprendeu a caminhar. Diga-me uma coisa; mesmo depois de homem feito, você nunca tropeçou? Claro que já, é óbvio que bem menos do que quanto éramos bebes, mas sim mesmo um adulto tropeça, muitas vezes ao longo da vida e o pior, em algumas horas podemos tropeçar até no mesmo lugar. Mais uma vez, o que comprova que você está vivo é que você tropeça, cai, mas levanta a cabeça e continua. Enquanto que uma pessoa morta, não se levanta mais.
    A bíblia diz que antes de nos convertermos nós estávamos mortos em nossos delitos e pecados (Ef 2:1). A evidência de que você está vivo espiritualmente não é um andar impecável (I Jo 1:8), mas andar, andar pra frente, não desistir, perseverar em seguir ao Senhor. Sabe por quê? Mortos não andam.



Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Heresia. A espada mais cortante contra a igreja

Quando se levanta um presidente estilo anticristo ou uma lei meio contrária aos cristãos é promulgada podemos rapidamente ver o pavor estampado em muitos, isto porque os crentes atuais consideram perigosíssimos os ataques físicos que a igreja pode sofrer, de tal modo que quase idolatramos os cristãos primitivos pelo fato de terem sofrido tamanhas angustias na carne, e aqui uso o termo literalmente, já que muitos deles foram mortos e outros chegaram bem perto da cova, levando muitas surras por causa da fé. 


É claro que o titulo de heróis cai como uma luva sobre pessoas que venceram tamanhas dificuldades, e para falar a verdade, a honra que lhes damos sempre será pequena ao avistarmos a grandeza daqueles cristãos. Entretanto, o pior ataque que a igreja pode sofrer não é no corpo e sim na mente, sobretudo porque a noiva de Jesus sempre resistiu às espadas, mas continuamente sucumbiu diante das heresias. As épocas de grandes perseguições físicas podiam até matar alguns cristãos individualmente, porém sempre vivificava a igreja. Crescimento, cura, restauração, avivamento eram o resultado dos sofrimentos na carne. Jesus havia ordenado aos discípulos que pregassem a palavra em todo o mundo, entretanto eles estavam bem confortáveis em Jerusalém. Qual a saída de Cristo para resolver este problema? Perseguição! Com isto o primeiro mártir cristão é feito e também as primeiras obras missionárias são realizadas, visto que com a morte de Estevão se diz em At 8:1 “Naquele dia, levantou-se grande perseguição contra a igreja em Jerusalém; e todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e Samaria”. Com Israel não foi diferente. Quando eles estavam em pecado era só Deus mandar outra nação para efetuar juízo, matando, escravizando um monte de judeus que eles se arrependiam rapidinho. Portanto, nossa verdadeira luta não é contra o Nero e a Jezabel, e sim contra os mestres e pregadores que dominam este mundo tenebroso com suas doutrinas que parecem bíblicas, mas não são.

      Heresia é algo que vem de dentro, de forma que as mentiras do mundo fazem menos mal do que as meias verdades pregadas por aqueles que se dizem igreja. As abobrinhas ditas em muitos jornais e televisão não são nada comparadas com os enganos pregados por muitos pastores. A teologia da prosperidade é muito pior do que a ideologia do macaco. Os fariseus que falam coisas erradas acerca de Deus destroem mais do que os ateus que dizem que Deus não existe.

      É por isto que devemos seguir a ordem de Paulo e estarmos incumbidos da “defesa e confirmação do evangelho” (Fl 1:7). Eu sei que alguns só gostam de pregar a confirmação do evangelho que é o lado positivo onde nós apenas dizemos o que ele é, mas também há o lado negativo, onde nos defendemos da heresias dizendo o que o evangelho não é. Há o momento de dizer: “Isto aqui é a verdade”, mas também tem a hora de afirmar: “aquilo ali é uma mentira”. Certa vez estava pregando contrariamente a muitas coisas que tinham sido ditas no meio evangélico. Com isso uma senhorinha chegou diante de mim e disse: “Por que pregar desta maneira? Apenas fale a verdade. Você não precisa dizer nada contra aqueles que pregam errado”. Eu então lhe respondi: “Não estou falando contra eles, e sim contra o que dizem”. 

      Grande parte do ensino de Jesus se resume nesta frase: “Tá vendo os fariseus? Não os siga”. Ou seja, nosso Mestre não era nenhum um pouco diplomático, pois além de condenar a mentira, ainda dava nome aos bois. 

Em Rm 12:8 Paulo escreveu: “se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”. Ele também ordenou que os filipenses estivessem com ele “lutando juntos pela fé evangélica…e tendes o mesmo combate que vistes em mim”. Que combate é este? Político, social? Não! É a luta para defender as verdades do evangelho. Hb 4:12 diz que a palavra de Deus é como uma espada. Sendo assim, esta é a única guerra que temos que travar. Você não verá Paulo brigando com alguém que lhe deu um tapa na cara. Ele era um cordeiro quando batiam em seu corpo, mas transformava-se num leão no momento em que agrediam o evangelho. Em At 15:1 se diz que alguns judeus estavam distorcendo a grande mensagem da salvação, a justificação pela fé, nesta hora o apóstolo posicionou-se da seguinte maneira: “Tendo havido, da parte de Paulo e Barnabé, contenda e não pequena discussão com eles”. Não vamos empunhar a espada de metal e repetir o erro passado de jogar os hereges na fogueira, mas por outro lado, tiremos a espada da palavra da bainha e vençamos o mal com o bem, o bem da verdade.

Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin
Edição: Heverton de Oliveira

O reino é dos cachorrinhos

Mt 15:21

     O texto acima conta a história de uma mulher que foi até Jesus clamando para que ele libertasse sua filha possessa. Cristo diz a ela que não pode tirar o pão dos filhos judeus para dar aos cachorrinhos gentios. Porém, para “surpresa” divina, ela diz: “Tudo bem, Senhor, eu sou uma cadelinha mesmo, mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem das mesas dos filhos”.
     Qual é o caminho que nos leva a conquistar bênçãos? Não sei, porque cada pedido requer uma atitude. Mas de uma coisa eu sei: que toda estrada que nos leva até uma benção tem que ser percorrida de joelhos. Pelo menos, este foi o segredo desta mulher: um coração extremamente humilhado.
     A história desta mulher nós dá quatro princípios para conquistarmos uma benção em Deus.


1-A aparente insensibilidade de Deus diante do sofrimento humano


     Esta mulher foi clamando atrás de Jesus para que ele resolvesse a angustia de sua filhinha. E o que ele fez? Nada. O verso 23 diz que Jesus “Não lhe respondeu palavra”. É muito comum passarmos por momentos na vida onde temos a sensação de que Deus está longe, de que ele está surdo para as nossas súplicas. E é nesta hora que alguns começam a ficar bravos com Deus. Esta mulher poderia ter dito: “Puxa vida, estou clamando aqui e Ele não faz nada, que Deus é este? Ah, que se dane, ele não quer saber de mim, então eu também não quero saber dele”. Mas não, ela se humilhou e insistiu.
     O sofrimento leva alguns a se levantarem contra Deus e outros a se prostrarem. Na hora da dor, a mulher de Jó fez uma reclamação, enquanto que esta mulher fez uma oração.
     O que Deus precisa fazer para você se tornar um cachorrinho?

2-As vezes Deus diz “não” querendo dizer “sim” e diz “sim” querendo dizer “não”


     Nós geralmente temos a idéia de que; se estamos buscando fazer a vontade de Deus, vai ser fácil. Que quando algo está difícil é porque não é de Deus. Ora, isto nem sempre é verdade. Era a vontade de Deus curar a menina, mas ainda assim Jesus disse não a princípio. Por que Deus faz assim? Para te levar a ser perseverante, dependente e humilde.
     Mas às vezes Deus diz sim, ele nos dá algo, mesmo sem querer fazer aquilo (Sl 106:15). Israel pediu carne e Deus deu, mas fez com que a alma do povo definhasse. Quando Deus te dá algo que não é a vontade dele para sua vida, não pense que ele está te abençoando, ele está te punindo. Se meu filho pede para enfiar o dedo na tomada e eu deixo, pode ter certeza que isto é um castigo e não um presente. Deus só tem compromisso com a vontade Dele, não adianta pedir o contrário.

3-Coração quebrantado quebra até decretos divinos


     Há um conceito teológico e messiânico tremendo aqui: que o Messias veio em primeiro lugar para os judeus. Todo o Antigo Testamento profetizava isto. E esta é a explicação teológica de Jesus para justificar porque ele não iria ajudar a mulher. Mas aí ela dá uma resposta mais teológica ainda e desfaz toda a agenda divina. Esta mulher conseguiu alterar séculos de profecias. Como? Através de um coração quebrantado.
Quando tenho um coração quebrantado?

4-Como a migalha de cachorro e não olho o pão dos filhos


     Por que há pessoas que nunca irão receber nada de Deus? Não se vêem como cachorrinhos e sim como lordes de sangue azul que podem “determinar” que Deus lhes dê algo. “Eu não merecia isto” é a frase preferida deles. “Por que ele tem e eu não?” é outra reclamação dos rebeldes. Olhe para Paulo e Davi, dois homens de Deus com fins tão disintos. Um termina rico em ditosa velhice, outro pobre numa angustiosa cadeia. Por quê? Não sei. Assim como não sei o motivo de existir filho de Deus comendo pão à mesa e outro se alimentando de sobra debaixo da mesa. Eu só sei que eu quero comer o que Deus quiser me dar. Eu prefiro à mesa, mas se for debaixo, não tem problema, porque tudo o que vem dele é bom. Nosso problema é que queremos dizer para Deus como Ele deve ser Deus e como distribuir seus bens.
     A pergunta certa não é “Por que o outro tem pão?” E sim: “Por que eu que não mereço nada, além do inferno, fui privilegiado com a migalha?”. Faz a oração da mulher: “Senhor, eu prefiro sentar à mesa e comer pão, mas se o senhor me der migalha eu como também. Eu prefiro carro novo, mas ficarei contente se o Senhor me der um velho, porque eu não tenho tudo o que quero, mas possuo muito mais do que mereço”.



Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Meninos-pastores: Benção ou maldição?

Em algumas igrejas atuais tem sido comum o surgimento de meninos pastores que são “usados” para pregar e curar. Nesta hora, muitas pessoas se questionam: será isto um fenômeno ou uma anomalia? Benção ou maldição? 








Alguns acreditam que sim e citam Jesus, quando disse: “Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a mim, porque dos tais é o reino dos céus” (Mt 19:14).
      Eu, todavia, acredito que, como se deu com Israel, estes garotos no púlpito constituem o juízo de Deus sobre igrejas e pessoas que não querem o Senhor. Isaias, capítulo três, narra o momento em que devido ao pecado de Israel, Deus julga o povo ao retirar os homens adultos da liderança:“Porque eis que o Senhor, o SENHOR dos Exércitos, tira de Jerusalém e de Judá o sustento e o apoio, todo sustento de pão e todo sustento de água; o valente, o guerreiro e o juiz; o profeta, o adivinho e o ancião; o capitão de cinqüenta, o respeitável, o conselheiro, o hábil entre os artífices e o encantador perito”. E no lugar destes homens maduros que eram sábios para guiar o povo, quem o Senhor daria para dirigir Israel? O verso quatro continua: “Dar-lhes-ei meninos por príncipes, e crianças governarão sobre eles”.
      Jesus disse para os pequeninos “vinde a mim”, mas ordenou aos homens, “ide e pregai”. As Crianças devem vir a Jesus, mas quem deve ir até os homens são os adultos. Nosso Mestre disse sim que as crianças podem ser salvas, que elas devem estar em sua presença, mas só, em nenhum momento ele declara que elas deverão ser pastores e pregadores. Paulo não permitia que mulheres pregassem, quanto mais crianças (I Tm 2:12).
      “Mas Deus usou até a mula, não pode usar uma criança?”, já posso ouvir alguém dizendo. Claro que Deus pode usar quem ele quiser, se for da sua vontade até as pedras clamarão. A questão é que Deus só usou a mula porque o profeta do momento, Balaão, não era usável. E Deus só falou através da mula uma vez, em todas as outras ele usou “homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo” (II Pedro 1:21). Você notou que Pedro diz homens santos e não crianças santas? Nem Jesus teve ministério enquanto criança, porque estes garotos de hoje deveriam ter? Não, não deveriam, eles estão em tempo de ouvir e não de falar.
      Eu sei por que crianças fazem sucesso nestas igrejas; é que ali os adultos não pregam coisa alguma. Há muita gritaria, mas pouco conteúdo. Citam a bíblia, porém não pregam a palavra. Liberam apenas as mesmas velhas e marcadas palavras de efeito, do tipo: “o fogo vai cair aqui hoje”, “A mão de Deus está aquiiiiiiiiiiiii!”. Ora, pregar desta maneira qualquer um prega, até crianças. Visto que até papagaio consegue pronunciar algumas decorebas, porque uma criança não teria a capacidade de pronunciar alguns jargões?
      Agora, quando o assunto é ser um verdadeiro embaixador de Cristo, a história é outra. É preciso de oitenta anos na escola do sofrimento e do deserto para Moisés começar a ser usado por Deus. É necessário que Paulo aprenda desde criança a Torá aos pés de Gamaliel e depois de se dobrar aos pés de Jesus buscar refugio no deserto da Arábia para ter revelação com o próprio Cristo para que daí então ele inicie seu ministério. Porque os melhores ministérios são marcados por cabelos grisalhos e não por espinhas amarelas.



Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Pobreza não é benção

III Jo 1:2 “Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma”. 
     Ouve-se muito falar contra a sede pela riqueza, visto que ela é repudiada em toda a bíblia (ITm 6:9). Mas só existe uma coisa pior do que o amor ao dinheiro é o amor a pobreza. Se pobreza fosse bom o céu seria uma favela. Se pobreza fosse bom João não faria votos pela nossa prosperidade. Provérbios sempre fala da pobreza de maneira negativa. Por causa da pobreza milhões de crianças morrem na África todos os anos. Como uma coisa destas pode ser boa? Em Dt 8:2 Deus conta que usou a pobreza para provar o seu povo, mas veja, não significa que a falta de dinheiro é bom. Por amor ao dinheiro pessoas matam, porém pela falta dele seres humanos morrem.
     O dinheiro é ruim quando ele se torna um fim, porém ele pode ser uma benção quando ele é um meio para realizarmos a vontade de Deus. Por exemplo, meu pai mora em outra cidade, para visitá-lo eu preciso de dinheiro. dinheiro para ter o carro e dinheiro para o combustível. Portanto, ter dinheiro é bom, mas não por causa do dinheiro em si, e sim porque ele me leva até a coisa mais importante da vida; as pessoas. Agora, imagine que eu fique tão seduzido por carros que isso me leva a trabalhar tanto que eu nem tenho tempo para visitar o meu pai. Veja, isto é o amor ao dinheiro condenado pelo apóstolo Paulo.
     Para muitos, prosperidade é ter carrão, ter mais que o vizinho e por aí vai, mas deixe-me dar o significado de prosperidade segundo a bíblia: prosperidade é Deus te dar o que você precisa para cumprir a vontade dele.
     Por que algumas pessoas se tornam prosperas enquanto que outros vivem na miséria?


1-Próspero tem iniciativa, pobre é passivo     Em Js 7:10 Deus repreendeu Josué porque ele estava orando. Sim, é isto mesmo, o Senhor disse ao seu servo: “Pare de orar e lute”. Devemos orar, mas também é preciso agir. Conheço muitos crentes que não agem com inteligência, não se esforçam, não se dedicam e depois não entendem porque não prosperam.
É comum encontrar um crente que está desempregado angustiado e parado em casa, sendo que ele deveria correr atrás do tempo perdido.

2-Próspero é trabalhador, pobre preguiçoso     Pv 6:9-11 diz que o preguiçoso gostar de dormir e por isto será pobre. Me fale quando você dorme e eu te direi quanto será o seu salário.
     Por que muitos não estudam? Falta de oportunidade? Talvez, mas em muitos casos é preguiça mesmo. olhe a cena: um homem carregando um piano até o teatro. Ele leva horas para fazer o serviço, sobe por várias escadas, enfrente inúmeras dificuldades e depois de muito esforço e suor acaba o serviço. O pianista por sua vez se senta toca por alguns minutos e ganha bem mais que o carregador. Parece que o carregador é mais trabalhador, mas pense no trabalho que deu para o pianista aprender a tocar. Mas existe muitas pessoas que são assim; tem disposição para carregar piano, mas preguiça para ler um livro.

3-Próspero muda o ambiente, pobre se adéqua a ele     Derrotados: ‘A circunstância que ele vive determina o que ele é. Vencedor: o que ele é determina em qual circunstancia viverá’ ”. Nascer pobre pobre é destino, mas em muitos casos viver na miséria é uma escolha.

4-Próspero faz investimento, pobre faz divida     Lembro-me de ouvir um economista dizendo que se um cidadão médio, que ganha uns três mil reais mensais comprasse tudo a vista, somente o dinheiro economizado com juros pagaria os estudos do filho até a faculdade.
     Nem toda divida é ruim, mas muitas coisas que compramos são fruto de cobiça, ingratidão e inveja. por exemplo, um rapaz compra um moto financiada e paga quase o dobro por ela, mas ele precisa da moto para trabalhar, sendo assim mesmo pagando bem mais caro, a moto foi um bom negocio porque lhe deu um emprego que acabará pagando a divida. Agora, as vezes compramos coisas a prazo, pagando quase o dobro simplesmente porque não conseguimos esperar.
     As finanças falam muito acerca da nossa espiritualidade. Paulo diz em Fl 4:11-12 que aprender a estar contente em toda e qualquer circunstancia, escassez e abundancia. Se tem dinheiro gasta, se não tem não gasta. Puxa vida, esta frase é tão obvia, mas muitos se esquecem dela.

5-Pobre usufrui hoje, próspero usufrui amanhã     O Egito teve sete anos de vacas gordas e mais sete de vacas magras. O que o povo fez na época de abundancia? Gastaram tudo, enquanto que José poupou. E com isto, quando os dias maus vieram, só José tinha alimento estocado. A bíblia diz que ele vendeu comida e ficou riquíssimo.
     Ouvi falar de um homem que era garçom, mas acabou se tornando dono de vários restaurantes. Na época que trabalhava de empregado ele dormia dentro de um fusquinha. Esse homem conta que outros garçons ganhavam tão bem como ele, só que não guardavam tanto como ele. Por isto no dia que surgiu uma oportunidade de comprar um restaurante ele era o único que tinha dinheiro. Vale a pena sofrer um pouquinho hoje para desfrutar do melhor amanhã.

6-Prospero é fiel, o pobre é infiel     Nem toda pessoa que passa necessidade está em pecado, mas há muitas pessoas que estão passando por tempestades financeiras porque não são fieis a Deus.



Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

O reino é das crianças!

Mt 18:3 “E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus”.
     Por um lado nós não podemos ser crianças. Paulo em I Co 13:11 diz que deixou de ser menino e passou a agir como homem. É comum repreendermos alguém, dizendo: “Deixa de ser moleque”. Em se tratando de responsabilidade, força interior, constância não podemos usar fraldas.
     No entanto, há um aspecto na vida cristã em que… crescer é diminuir, onde a prova de que virei adulto é que me tornei criança. Jesus repreendeu Pedro nos seguintes termos: “Em verdade, em verdade te digo que, quando eras mais moço, tu te cingias a ti mesmo e andavas por onde querias; quando, porém, fores velho, estenderás as mãos, e outro te cingirá e te levará para onde não queres” (Jo 21:18). A marca da maturidade para Jesus é que aprendemos a ser conduzidos por outros e como criança aprendemos a dar a mão e deixar que eles nos levem.

Quais as marcas de uma criança no reino?


1-Um coração ensinável      I Pd 2:2 “desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação”. Temos que ter sede de aprender para crescer. Mas quem deseja crescer? Ora, quem se vê pequeno, adulto não cresce.
     Pv 22:6 “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele”. É interessante que ele diz “Ensina a criança” e não ensina ao adulto. Sim porque o adulto é aquele que pensa que já sabe tudo e portanto não pode mais aprender. Tem uma frase que diz: “Ou você está verde e crescendo ou maduro e apodrecendo”. Pesquisadores descobriram que quando os alunos são pequenos e não entendem uma questão, perguntam com a maior espontaneidade. Mas à medida que crescem e a passam a competir uns com os outros, os estudantes, especialmente os mais fracos, relutam em fazer perguntas e demonstrar que não entenderam.
     Todos concordam que criança aprende rápido. Por que será? Qual o segredo delas? Imitação. Se você tem filho sabe do que estou falando, os pequeninos nos imitam em tudo. Crianças são assim, aprendem rápido porque não ficam querendo reinventar a roda. Em vez de tentar descobrir tudo por si, elas seguem os passos daqueles que já conhecem o caminho. 
     Paulo disse: “Sede meus imitadores”, Picasso declarou: “O bom artista copia, o grande rouba idéias” e Issac Newton afirmou: “Eu vi mais longe que outros, mas porque estou sentado nos ombros de gigantes”. Você quer ser original? Quer descobrir tudo sozinho? Ah, deixe de ser adulto, siga os pequenos passos das crianças e dê grandes saltos rumo ao progresso.
     Pouco antes de afundar, o Titanic recebeu cinco alertas acerca de icebergs naquela fatídica noite de 14 de abril de 1912. Quando a sexta mensagem, “Cuidado com os icebergs!”, veio durante as primeiras horas da manhã seguinte, o operador respondeu: “Cale a boca! Estou ocupado”. Realmente o reino dos céus é das crianças. A salvação da sua alma, será determina pela sua atitude: de uma criança humilde ou de um adulto arrogante. Sabe por que os fariseus não puderem ser salvos? Sabiam tudo e por isto não puderam se humilhar. Sendo assim, o que lhes restou foi ver o barco de suas vidas afundar em direção ao inferno.

2-Um coração que aceita repreensão     Esta, é obvio, é uma conseqüência da primeira característica, visto que aprender é se abrir para ser repreendido. E isto é uma marca das crianças. Eu posso dar uma baita de uma repreensão no meu filho, porém dois segundos depois ele já está me abraçando.
     Na bíblia o crente é simbolizado pela ovelha e o ímpio pela mula. Por que? É que o segundo não aceita repreensão: “não sejais como o cavalo ou a mula, sem entendimento, os quais com freios e cabrestos são dominados; de outra sorte não te obedecem” (Sl 32:9).
     Por que muitos casamentos são ruins? Ambos, tanto o homem quanto a mulher, não estão dispostos a ouvir ao outro, porque ainda não se viram como crianças que falham e precisam ser alertadas. Igrejas, empresas enfim, onde há gente dura de coração vai haver um ambiente duro de conviver.

3-Um coração dependente     No aspecto natural eu sou maduro quando sei fazer tudo sozinho, no lado espiritual eu sou um adulto quando me torno criança, sendo totalmente dependente do Senhor.
     E é maravilhoso ser dependente. Por que uma criança não tem estresse? Porque o pai cuida de tudo.

4-Um coração que se diverte     Lc 7:32 “São semelhantes a meninos que, sentados na praça, gritam uns para os outros: Nós vos tocamos flauta, e não dançastes; entoamos lamentações, e não chorastes”. O cenário aqui é de crianças que não brincam: “Vamos brincar de dançar? Não, não quero. Então vamos brincar de velório? Também não quero”. Jesus estava dizendo que os fariseus se pareciam com aquelas crianças emburradas que não querem brincar, que no fundo, nem parecem crianças visto que criança e diversão são sempre sinônimos.
     Deus criou o homem e o colocou onde? Numa fabrica de montagem? Não, no Éden, que significa jardim de delicias. A vida tem que ser mais uma brincadeira.

Como a criança se diverte?
     Brinca com o que tem     Quando pequeno eu sempre imaginava: “Puxa, e se eu fosse dono do parquinho… poderia passear a vontade. Ah, quem me dera ser dono da fabrica de chocolate para poder me esbaldar”. Mas por mais que os pequeninos tem grandes sonhos, eles aprendem a brincar com as pequenas coisas. O carrinho feito com restos de madeira, com roda de tampinha de refrigerante já é motivo para festa.
     E até a tragédia é transformada em playground por crianças. Duvida? É só assistir a Tv em dia de enchente. A jornalista entrevista a mulher em lagrimas porque viu sua casa ser inundada por água e lá atrás, ao fundo enxergamos uma criança toda sorridente, brincando na “piscina” que de outra forma ela jamais teria no quintal de casa. Precisamos aprender a sonhar e a viver como criança.

     Valoriza o que tem que ser valorizado.     Criança gosta da natureza, gosta de bicho e melhor… gosta de gente. Pode quebrar o pau, mas faz de tudo para voltar a amizade, porque ela sabe: brincar sozinho não tem muita graça.

     Criança não tem estresse     Você já viu uma criança estressada? Ou então, já encontrou com um menino que perdeu a fome devido aos “muitos problemas” que ele está enfrentando? Não, estresse é coisa nossa, dos maduros adultos que tem responsabilidades, que pensam deter o controle de tudo e sendo assim, quando ao acharem que as coisas estão fugindo das rédeas, se desesperam.
     Devemos viver mais e pensar menos. Isto é um chamado a irresponsabilidade? Não, de modo nenhum. Eu não disse que não devemos pensar, só disse que precisamos viver mais, porque o que percebo é que: as pessoas vivem se preparando para viver, mas nunca vivem.
     Hoje eu ainda não sou feliz, mas quando passar na faculdade… Quando me casar…
     Aí então ele se casa e logo pensa: “Quando tiver filhos…” e os filhos vêem, e em vez de desfrutar o momento pensa: “Não vejo a hora de ele falar”. Depois, “puxa, não vejo a hora de ele andar” e então as crianças crescem, vão embora e tudo o que ele quis se realizou. Então ele para tudo e diz: “Puxa, eu queria que eles voltassem a ser crianças”. Sim, porque ele desejou tanto que eles se tornassem adultos, que não teve tempo para curtir a infância deles.
     Para as crianças não existe amanhã, somente o hoje, por isto elas não se estressam: “Não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados, basta ao dia o seu próprio mal”.
     A bíblia diz que quando Jesus nasceu, Herodes mandou matar as crianças que tinham menos de dois anos. Sabe por quê? O diabo sabe que destruindo o nosso lado infantil ele estará nos privando de ir e viver o céu.



Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira