O ser-humano é nosso maior patrimônio

Vamos supor que você abra uma empresa em que o principal patrimônio seja um equipamento de alta tecnologia, totalmente automático, que, além de controlar a linha de produção, embala rotula e endereça o produto para remessa. O problema é que seu negócio para, se ele quebrar. Por isso não há duvida de que este equipamento é o seu maior patrimônio. Sendo assim, quem você colocaria para operá-la? Seu funcionário recém chegado? Ou aquele que é dedicado, mas sem experiência nenhuma? Tenho certeza que não. Você irá escalar para aquela função o melhor homem que tiver em mão. 
Mas deixe eu lhe contar algo, independentemente do que você lidera (empresa, família, igreja e etc), “as pessoas” constituem o seu maior patrimônio. Se esta é a verdade, por que colocamos qualquer um para liderar outras pessoas? Por que na posição de lideres, valorizamos tantas coisas menos os nossos relacionamentos?



      John Maxwell conta que um de seus funcionários chamado Dan Reiland que trabalha em serviços internos certa vez ao chegar ao trabalho com sua pasta perfeitamente organizada passou pelas pessoas, não falou com ninguém e rapidamente entrou em sua sala. Maxwell foi atrás dele e perguntou: “O que está acontecendo? Você passou na nossa cara e não disse nada”.
      “ Tenho muito trabalho a fazer”, respondeu Dan tirando uma pilha de papeis da bolsa. A isto Maxwell retrucou: “Dan, você acabou de passar pelo seu trabalho”. Você também precisa entender; nosso maior trabalho são as pessoas, nossa grande missão é aprendermos a nos relacionar.
      Você já parou para pensar que todo o nosso sucesso depende de pessoas? A começar por uma família, que é um ambiente de quatro ou mais pessoas até de igrejas e empresas que contém milhares de ovelhas e funcionários, o ser humano é o nosso maior bem. Um mal relacionamento com a esposa pode gerar filhos problemáticos, já que estatísticas comprovam que mais de 90% das crianças que dão problemas na escola são filhos de pais separados. A falta de unidade e interação com os funcionários podem produzir greves, baixo rendimento e etc… Enfim, se você é um líder tem que saber como lidar com as pessoas. Precisa aprender a se relacionar bem com todos que estão ao seu redor.
      Conta-se que quando o ex-presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, chegava, todos na casa branca paravam para recepcioná-lo e diziam: “Papai chegou!”. Eles não eram pagos para agirem assim, mas faziam por livre e espontânea vontade. Esse é um nível de respeito muito grande que Reagan conquistou. Mas como ele conseguiu isso? Creio que um comentário feito por Michael Deaver, alguém que trabalhou com o ex-presidente, responde a esta pergunta. Ele disse: “O líder de governo, o jardineiro ou a secretária eram tratados da mesma forma por ele. Todos eram importantes”.
      Para Ronald Reagan o ser-humano era o seu grande patrimônio. E para você? A propósito, o que você lidera mesmo? Máquinas, fraldas, bancos de igreja? Não! Seja qual for a sua área, pessoas são seus liderados. São elas que conduzem as máquinas, que vestem as fraldas e sentam nos bancos.


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Que tipo de homem é você?


  Rm 7:14-25

   Durante a história da igreja houve um debate sobre que tipo de homem é este, de Rm 7:14-25. A interpretação correta deste texto vai definir o seu sucesso ou fracasso na sua vida espiritual.



       Quem é o homem de Rm 7?









1- Alguns dizem: O homem não regenerado. Ímpio

     Isto está errado! Porque em toda a bíblia é dito que o ímpio é inimigo de Deus, detesta a lei de Deus e vê a palavra do Senhor como loucura, no entanto o homem de Rm 7 declara que tem “prazer na lei de Deus” v.22.

2- Homem regenerado. O crente

     Então eles concluem que o homem aqui é um crente. Mas também está errado, visto que o indivíduo de Rm 7 é “vendido a escravidão” v.14, tem desejo, mas não a capacidade para se santificar v.18, porém nós bem sabemos que o crente verdadeiro não é escravo do pecado, e sim de Cristo. Não podemos dizer que o crente verdadeiro não tem capacidade para fazer o bem, visto que ele possui o Espírito Santo. Além disso, toda a tese de Rm 6 é para dizer que somos livros do pecado: Rm 6:6, Rm 6:14, Rm 6:18. Dê uma olhada nas expressões de Rm 6 para dizer o que aconteceu com o homem regenerado: “Morremos para o pecado”, “fomos feitos servos da justiça”, “estamos sepultados para o pecado”, “estamos debaixo da graça”, “o corpo do pecado está destruído”.

      Então quem é o homem aqui?
3- Aquele que está em convicção de pecado

     Na vida espiritual existem três tipos de homens: o vivo, o morto e aquele que está nascendo, que está em processo de gestação espiritual. Ele luta ali com a lei de Deus, descobre a si próprio e a santidade de Deus. Ele libera duas frases que evidenciam uma conversão: “miserável homem que eu sou” e “graças por Jesus”. Arrependimento e fé, o caminho da salvação.
     Em Gl 3:24 Paulo diz que a lei o conduziu a Cristo. Já ouviu aquela frase: “Você veio pela dor ou pelo amor?”. Ela não reflete toda a verdade, porque na realidade nós viemos a Cristo pela lei. Somente quando o homem se vê a luz da lei de Deus é que ele genuinamente busca a Jesus. É como o doente que só percebe o valor do médico depois de um raio-x do seu pulmão.
     Só para citar um exemplo desta experiência na vida dos homens de Deus: dizem que Lutero ficou meses nesta agonia de tentar fazer o bem, mas sem resultado até que descobriu a salvação em Jesus.

      Duas verdades aqui
1- A evidencia da conversão é a convicção de pecado.

    Qual é a primeira evidencia de que você converteu?
     Tem gente que teve uma experiência com uma religião, mas não com Jesus. Ele foi para a igreja e algo ali o atraiu. A musica, o pastor, os irmãos e por isto ele ficou. Mas isto não significa que ele é crente. Judas andou com Jesus três anos e não era. Os fariseus permaneceram a vida toda no templo e também não tinham se convertido.
     Outros tiveram uma experiência com o poder de Deus. Eles creram em Deus e por isto foram curados ou receberam outro milagre, mas isto não é evidencia de conversão, porque dos dez leprosos que foram curados por Jesus só um voltou para agradecer.
     Outros tem medo do inferno e de uma vida sem a benção de Deus. Eles acreditam em Deus e o temem, por isto não querem ir para o inferno e muito menos viver uma vida ruim aqui, por isto, e exclusivamente por isto, eles freqüentam a igreja durante anos, mas ainda assim são ímpios. Lembre-se que os demônios também acreditam que Jesus é Deus, mas ainda assim estão perdidos.
     A evidência da fé verdadeira é vista através de um arrependimento genuíno. E o arrependimento genuíno é aquele onde passamos a odiar o pecado e a amar a Jesus.
2- O convertido não é escravo do pecado

    Se o homem de Rm 7 é um crente, então todas as promessas de Jesus falharam. Ele disse que daria seu Espírito Santo, justamente para que fossemos mais escravos do pecado. Ele prometeu nos dar um novo coração, uma nova vida, para que pudéssemos andar em vitória, e não num cai cai como o homem de Rm 7. E I Jo 3:9 diz “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus”.

      Dois equívocos com base nestas verdades
1- Que a santificação é uma “experiência” que acontece em um momento

    Fl 1:6 diz que a nossa santificação vai durar toda uma vida. Alguns dão testemunho: “Eu pecava, pecava, ao um dia entendi e nunca mais pequei”. Não pecar, não é fruto de um dia é fruto de muitos dias de luta.
     Mesmo crentes verdadeiros podem fazer coisas terríveis. Davi era filho de Deus e mesmo assim, passou por um tempo de trevas, matando, mentindo e no adultério. Uma criança pode cair no processo de aprendizado ao caminhar, mas nem por isto ela está morta.
2- Que para ter esta experiência de santidade basta se entregar

    Hb 12:4“vossa luta contra o pecado não tendes resistido até o sangue”. Ser livre, não significa que não temos que lutar, e sim que podemos lutar. Israel foi liberto de Faraó por Deus e então chegou até Canaã. Mas lá eles se desanimaram porque havia gigantes. Eles foram libertos, mas ainda assim teriam que lutar contra gigantes. Antes eles não podiam guerrear porque eram escravos, agora que estamos em Cristo, podemos enfrentar nossas tentações por que I Co 10:13 diz que “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças”.
     Dá onde as pessoas tiram a idéia de apenas “se entregar” para andar em santidade? Interpretam mal um principio que diz: não confie em si mesmo. Este é um pecado grave, pois faz de mim o meu próprio Deus. Por isto o grande trabalho do Senhor é nos levar ao fim de nós mesmos para que possamos a confiar somente nele. Foi isto, por exemplo, que aconteceu com o homem de Rm 7, que viu sua fraqueza e assim aprendeu a dizer graças a Deus por Jesus.
     Mas o que significa não confiar em nós para confiar apenas em Deus? É ficar parado? Não, é lutar, mas saber que a minha força vem dele. Todos de Israel ficaram imóveis vendo Golias, Davi foi o único que foi. Sabe por quê? Porque ele confiava em Deus, por isto agiu, enfrentou e lutou contra o gigante.
     Minha mensagem para você que é crente é: assuma sua posição de filho de Deus. Pare de declarar que você é o homem de Rm 7, pare de blasfemar e dizer que o meu Deus te salvou do inferno para te deixar numa vida escrava do pecado aqui. Não, ele te fez mais que vencedor Nele. Creia nisso e ande em vitória.
     Minha mensagem para você que não certeza de sua salvação, que ainda não viu quão podre é o seu pecado é: busque ao Senhor te todo o coração e você vai achá-lo (jr 29:13). Ore, clame, leia a bíblia até que você possa dizer genuinamente o mesmo que Paulo: miserável homem que eu sou, quem pode me livrar desta situação angustiante? Graças a Deus por Jesus, o meu salvador.


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Por que as crianças parecem querer tomar as rédeas dentro de casa?

Se sentir seguras. Ao pular de pára-quedas uma das primeiras atitudes que irá tomar é testar o instrumento para saber se ele é firme o bastante para lhe proporcionar segurança na hora do salto. Do mesmo modo, os filhos parecem querer provar seus pais para ver se realmente eles estão no comando. Portanto, mostre que você é o líder. Ao dizer isso não estou falando sobre gritar ou esbravejar para conseguir o respeito. Aliás, ao agir deste modo você perde credibilidade, pois quem precisa se alterar para liderar está mostrando que não está no controle nada. Repare num guarda de trânsito. Ele não faz nada disso para que os carros parem. Como sabe da autoridade que possui, apenas estica a mão sinalizando uma ordem e é rapidamente acatado. 




      Por vivermos num mundo que experimentou tantos lideres perversos, ditadores e cruéis acabamos repelindo todo tipo de governo. Como existiram muitas pessoas que abusaram da autoridade, alguns pensam que não podemos exercer nenhuma autoridade. 
      O poder é bom ou ruim? Depende! Nas mãos de um Hitlher é usado para matar, mas de homens como Abraão Lincoln, libertar, já que ele lutou com todas as suas forças pela abolição da escravatura em seu país, os Eua. Sem dúvida, um pai pode destruir seu filho por exercer autoridade incorretamente, mas também pode salvá-lo se fizer do jeito que deve ser feito. Quando a autoridade é desempenhada corretamente, as vantagens são inúmeras para quem está sob ela. Se um policial agir a altura da sua função, que é punir o mal e estabelecer a justiça, trará muitos benefícios a sociedade. Assim também quando pais assumem a posição de lideres dentro de casa toda a família é recompensada.
      Em casa não pode haver um general, que abusa da autoridade, muito menos um banana, que não exerce autoridade. Minha mãe nunca foi violenta comigo. Chegou sim a dar umas palmadas, que tenho certeza, foram necessárias, visto que mesmo um guarda, as vezes, precisa ser um pouco mas firme, no entanto, quem realmente possui autoridade, com poucos gestos e poucas palavras se faz entendido. Se você tem que arrancar os cabelos toda vez que precisa instruir seu filho, algo está errado (sem contar, que acabará ficando careca). Sua autoridade está sendo questionada e isso indubitavelmente acontece em virtude de você não estar a exercendo da maneira correta. Então, como exercer autoridade adequadamente?


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Orações não Respondidas

At 10:4 “As tuas orações e as tuas esmolas subiram para memória diante de Deus”.
      Se as orações de Cornélio subiram a Deus, então significa que algumas orações não sobem. Quais são os fatores que impedem nossas orações de serem atendidas?

1-Pecados não resolvidos     Is 59:2 “Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”.
     É comum ouvirmos de algum crente: “Eu não consigo mudar isto, eu até quero, mas não consigo”. Ora, se isto é verdade, que o crente não consegue vencer o pecado, então todas as promessas do Novo Testamento falharam.

2-Culpa indevida      Jo 16:24 “Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa”.
     Só existe uma coisa pior do que viver em pecado, é viver em acusação. Pecar é ruim, mas não acreditar no perdão também.
     Mesmo quem não está em pecado, comete pecados (I Jo1:8). Por isto é normal o diabo querer nos acusar para nos impedir de ter uma fé confiante durante a oração. Entretanto, Hb 10:19 diz que devemos ter confiança para entrar na presença de Deus, mas não por causa do que somos e sim através do sangue de Jesus.

3-Falta de fé     Mc 11:24 “Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco”.
     Muitos crentes dizem ter fé, mas na realidade o que eles possuem é atitude positiva. São ensinados que quando recebemos uma oração pela cura, por exemplo, devemos, mesmo com a enfermidade ainda operando, dizer: “Ainda, estou com câncer, mas pela fé estou curado”.
     Imagine um homem que pesa 150 quilos dizendo pela fé: “Eu sou magro, pela fé eu sou magro”. Não, isto é absurdo. A verdadeira fé não nega a realidade, mas crê que Deus pode mudar a realidade.
     A sua realidade está complicado, ou pior impossível de ser mudada? Fé é crer que Deus pode realizar o impossível.

4-Não orar segundo a vontade de Deus     I Jo 5:14 “E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve”. Algumas pessoas tem uma visão muito errada acerca de Deus. Para elas, Deus é um Senhor malvado que não deseja nos dar nada, e por isto temos que orar, para convencer este ser de coração duro e avarento a nos dar alguma coisa. Porém, o que a bíblia diz é o contrario, como um bom Pai, é seu prazer nos abençoar, e mais, Deus nos dá muito mais do que pedimos. Por isto que a nossa oração não é para mudar a Deus, e sim para que a sua vontade seja feita.

5- Falta perseverança na oração     Lc 18:1 “Disse-lhes Jesus uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer”. A vida de oração de muitas pessoas é como uma maratona longa, estilo a São silvestre: um monte de gente começa, mas poucos chegam até o fim.
     Se quisermos receber algo de Deus, precisamos insistir até termos nossas orações atendidas. 


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira

Pedras da Vitoria

 I Sm 17:40 “Tomou o seu cajado na mão, e escolheu para si cinco pedras lisas do ribeiro, e as pôs no alforje de pastor, que trazia, a saber, no surrão; e, lançando mão da sua funda, foi-se chegando ao filisteu”.
     A teologia da prosperidade diz que só é crente de verdade quem é rico ou bem sucedido aos olhos deste mundo. As pessoas podem tender a pensar que quem é contra esta teologia da prosperidade seja negativo ou apaixonado pelo fracasso. Não, isto não é verdade, somos extremamente positivos. Primeiro, porque cremos sim que Deus cura, faz milagre financeiro e pode engrandecer a quem Ele quiser. Segundo, nós somos muito mais positivos do que eles, porque para os falsos profetas da teologia da prosperidade, eu só ando em vitória quando estou com o bolso cheio e sentado num trono, enquanto que vivemos em triunfo o tempo todo, mesmo com o bolso vazio ou pregado numa cruz (Rm 8:35-37).



     Qualquer um pode se sentir vitorioso com saúde, mas só pessoas que conhecem a Deus como Davi, podem manter a confiança mesmo passando pelo vale da sombra da morte. É fácil viver contente com a despensa cheia, porém apenas crentes verdadeiros possuem a capacidade de dizer “ainda que a figueira não floresça, não haja fruto na vide, o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento, as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no Senhor, exulto no Deus da minha salvação”. 
     Se você é um crente verdadeiro você nunca vai perder. E se existe um sinônimo de vitória na bíblia, é Davi quando enfrentou Golias. A maneira como o rei de Israel o enfrentou, com cinco pedras, é muito sugestiva e nos mostra como enfrentaremos nossos gigantes.

1-Pedra:perseverança
     Por que Davi levou cinco pedras? Ora, se errasse na primeira ele teria mais quatro outras chances de acertar. Conta-se que Winston Churchill foi ao seu antigo colégio dar um discurso. Ele subiu ao palco e disse apenas cinco palavras: “Nunca, nunca, nunca, nunca desista!”. Eu acho que sei porque ele falou apenas isto: é porque quem tem perseverança terá tudo o mais. Não adianta falar de talento, inteligência ou sabedoria se eu desisto no meio do caminho. Casamentos terminam por falta de paixão? Não, de perseverança. Empresas fecham devido a produtos ruins? Nem sempre, as vezes o que faltou foi insistência.
     Davi acertou de primeira, contudo na maioria das vezes não é assim. Walt Disney ouviu 301 nãos para um pedido de empréstimo antes de alguém acreditar em sua idéia, a Disneylândia. Uma pesquisa com quatro empresários bem-sucedidos mostrou o que eles tinham em comum; todos eles haviam falido 3 ou 4 empresas antes de terem conseguido ter êxito. Os missionários Willian Carey e Adonirão Judson só conseguiram batizar uma pessoa depois de sete longos anos.
     A bíblia diz que a igreja de Atos perseverança na doutrina dos apóstolos, na oração e na comunhão. Por que eles perseveravam? Ora, porque era difícil. Tinha dia que era complicado ouvir os apóstolos, era penoso orar e mais duro ainda amar os irmãos.
     Temos uma visão muito romântica da igreja primitiva, parecendo até que aqueles irmãos eram quase anjos. Mas não, eles tinham brigas, discórdias, pecado, o que não tinha era desistência, desanimo e por isto eles eram tão especiais, não é porque não erravam é porque não desistiam. Sua determinação em seguir ao Senhor era até a morte.

2-Pedra:Limitações
     Por que uma pedra e não uma bazuca foi a arma escolhida para derrubar Golias? Para Davi sempre se lembrar: quem derrubou o gigante foi Deus. Afinal, quem luta contra um gigante com pedras, sem armadura não pode dizer outra coisa.
     Deus muitas vezes no limita, nos deixa com pouco recursos para que aprendamos a confiar Nele. O Senhor viu 32 mil soldados e disse para Gideão: “Disse o SENHOR a Gideão: É demais o povo que está contigo, para eu entregar os midianitas nas suas mãos; Israel poderia se gloriar contra mim, dizendo: A minha própria mão me livrou” (Jz 7:2).
     Você pensa que sua limitação é um sinal de que Deus não te ama? Talvez sua limitação seja a oportunidade para o Senhor manifestar a glória dele e te levar a ser dependente do poder de Deus. Pelo menos foi isto que Paulo disse: “quando sou fraco é que sou forte”.

3-Pedra: Prudência
     Diz o texto que Davi foi até o rio e escolheu cinco pedras lisas, não por acaso, ele sabia que as lisas era melhores para atirar. Além disso, é dito também que Davi não aceitou a armadura oferecida por Saul. com esta atitude, Davi estava impondo limite a si mesmo? Não, ele conhecia bem a funda e sabia pouco sobre armadura, sendo assim lutar com a pedra, por um lado pode ser limitação, mas por outro era prudência, visto que era algo que Davi manejava bem.
     O que estou querendo dizer com isto é que nós devemos usar todas as nossas habilidades e fazer tudo o que está ao nosso alcance para enfrentarmos nossos desafios. Digo isto porque, para muitos, depender de Deus é o mesmo que não fazer nada. Entenderam errado a mensagem que diz “Não confiem em si mesmos. Não faça nada pela força da carne”. Fazer algo na carne é usar de artifícios pecaminosos p/ fazer a vontade de Deus. Agora, se não é pecado, faça tudo o que pode para derrubar o gigante. Davi podia pensar: “Ah, eu confio em Deus, vou levar só uma pedra. Ah, eu confio em Deus vou levar qualquer pedra”. Mas ele não fez isto.
     Deixe-me dar uma ilustração para você entender a diferença do crente imprudente, arrogante que age com base na carne e do, prudente que é dependente de Deus, mas nem por isto é relapso. O imprudente diz: “Não plantei, mas vou colher porque confio em Deus”. O arrogante declara: “Plantei e vou colher porque eu sou fera”. O dependente diz: “Plantei e vou colher, mas porque Deus é bom”

4-Simplicidade
     Davi rejeitou a armadura de Saul e usou as pedra. Muito pensam que o sujeito rico, bem-sucedido e que está no holofote é assim porque tem a aprovação de Deus. Engano! Porque Saul é quem tinha a armadura e o trono, mas era rejeitado, enquanto que Davi que só tinha uma cajado e cinco pedras era o escolhido por Deus, porque ele é quem tinha a unção do Senhor naquele momento.
     A bíblia diz que quando Davi chegou com as pedrinhas, Golias o ridicularizou. É nesta hora que muitos crentes vacilam na fé, quando o diabo diz: que crente é este, de fusca, com este empreguinho mixuruca? E aí o foco muda, em vez da gente querer derrubar o gigante nós nos preocupamos em impressionar o Golias, em vem de vencer o mundo, queremos o aplauso dos ímpios. Veja, por exemplo isto acontecendo na vida da igreja.
     Nosso objetivo não é termos grandes prédios, dinheiro e popularidade na cidade, nosso objetivo é derrubar o gigante, é ganhar vidas. É pecado ter armadura? Não, porque depois, Davi teve várias armaduras. Assim como também não é pecado termos prédio. O que é pecado é a gente pensar que estas coisas é que constituem o nosso objetivo como igreja.

5-Pedra: fé
     A funda era algo muito comum em Israel nos dias de Davi (Jz 20:16). Sendo assim, havia muitos soldados israelitas que sabiam manejar aquela arma. Portanto, qual a diferença deles para Davi? Fé. Não sei se Davi era o mais habilidoso com a funda, mas sei que ele era o mais crente em Deus com o coração. Creia em Deus e não haverá impossíveis para você.


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 
Edição: Heverton de Oliveira