Crente, mas derrotado.

     Israel saiu do Egito, que simboliza o mundo, onde era escravo partindo rumo a Canaã, o lugar da benção, a terra onde vivemos em vitória. Em I Co 10:2 Paulo diz que o povo foi batizado ao passar pelo mar vermelho. No entanto, mesmo com tudo isto eles não chegaram a Canaã, antes morreram no deserto. Tiveram uma experiência genuína com Deus e ainda assim viveram como derrotados. Como muitos crentes que tiveram uma experiência com Deus, ainda assim estão arrastando neste mundo.
     Isso aconteceu com o povo de Israel devido a um motivo simples: “Eles saíram do Egito, mas o Egito não saiu deles”. Para nós a frase soaria mais ou menos assim: “Saímos do mundo, mas o mundo não saiu de dentro de nós”. Estamos na igreja, mas continuamos com os princípios e com as atitudes do mundo. Não se engane, estar num ambiente de vitória, que é a igreja, não faz de você um vencedor. Judas que o diga. É preciso tomar algumas atitudes se queremos viver em vitória.

Como desfrutar o melhor de Deus?


1-Saber que Deus libera a palavra, mas nós temos que tomar posse  

   Nós geralmente pensamos que simplesmente pelo fato de Deus ter dado uma palavra sobre as nossas vidas, ela automaticamente se cumprirá. Isto é um engano. O Senhor havia claramente prometido: “Canaã é de vocês!”, contudo isto não aconteceu. Por que? Deus mentiu? Não, é que o povo não tomou posse através da fé. Deus deu, mas os israelitas teriam que lutar para conquistar a terra. Jesus pode mudar seu casamento, mas você tem que lutar por ele. O Senhor quer acrescentar almas em nosso meio, mas teremos que suar e gemer por elas. A benção do Pai não é a autorização para eu ficar parado, e sim o aval de Deus que diz: “Vai e faça o que tenha que ser feito, porque eu já abençoei o teu caminho”.
     O objetivo de Deus ao nos dar uma benção não é a benção em si, e sim moldar o nosso caráter, já que enquanto pedimos para Deus fazer um milagre em nossa vida, gememos, suamos, oramos e isto nos leva a conhecer a Deus. Agora, se não houver luta, esta transformação jamais aconteceria. Há algum tempo atrás conversava com uma mulher que clamava a Deus pela mudança de seu marido. Ele era frio, distante e dizia coisas que a magoavam. Depois de algum tempo perguntei a ela: “E aí, Deus mudou seu marido?”. “Ainda não, mas mudou a mim, porque agora sei que se meu marido não me amar, não tem problema, o Senhor me acolherá”.

2- Sonhar grande     

Como que uma nação pequena, formada em sua maioria por escravos venceria todas aquelas outras nações de gigantes? Era um sonho enorme entrar em Canaã, mas como eles tinham mente de gafanhoto, não desfrutaram da terra que o Senhor deu. Tem um ditado que diz: “galinha que acompanha pato, morre afogado”, ou seja, para andar com um Deus grande é necessário ter pensamentos grandes: “Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes” (Jr 33:3). Que coisas grandes são estas que Deus nos desafia a clamar? Riqueza? Sucesso, fama? Não! Definitivamente não, pois I Tm 6:9 diz que aquele que deseja ficar rico está pecando. Em I Jo 2:15 o apóstolo nos ordena a não amar o mundo e nem o que nele há como a soberba da vida, que é a fama o sucesso deste século. Além disso, Jesus disse em Lc 16:15 que “aquilo que é elevado entre os homens é abominação diante de Deus”.
     Então, sonhar grande significa o que na ótica bíblica? Sonhar com algo que tem haver com vidas. O Senhor disse para Abraão sair da sua tenda e assim alargar sua visão, seus sonhos acerca da salvação de uma multidão que seria como a areia do mar. Sonhe em grandes conquistas. Que as pessoas da sua rua, cidade e nação podem ser convertidas. Você que está no lugar que está por que Deus te colocou ali? Então, pare de dizer que o lugar é difícil, que há uma potestade ali, você está repetindo o erro dos israelitas, que infamaram a terra que o Senhor havia lhes dado.

3-Entender que a vida é difícil    

 Sabe o que mais dificulta a vida das pessoas? Pensar que a vida é fácil. Os dez homens que espiaram Canaã disseram: “A terra é boa, mana leite e mel, mas… tem gigante”. Ora, tudo o que é bom tem um “mas”. A fruta mais doce está sempre no lugar mais alto. As melhores coisas são quase sempre as mais caras. Israel queria o mel, mas não desejava o gigante. Assim como nós que desejamos emagrecer, porém não queremos fazer regime. Queremos dinheiro, mas não esperamos trabalhar. Almejamos gerar vidas para deus, porém não estamos dispostos a se sacrificar por isto.
     Bil Gates é ímpio, porém disse uma verdade: “A vida não é fácil. Acostume-se com isso”. Na vida não existe esta história de caminho fácil e caminho difícil. As opções estão entre o caminho difícil e o caminho mais difícil ainda:
     Ser livre das drogas é difícil, mas não lutar e morrer de overdose é mais difícil ainda.
     Ter um bom casamento é diicil? Claro, mas eu te garanto, divorciar é mais difícil ainda.
     Ganhar almas é difícil? Sim, mas o que faremos? Vamos voltar paras nossas casas como gafanhotos e assistir o fantástico, matar o tempo e perder nossos dias em futilidades? Não, iremos lutar. Eu não sei como terminarei meus dias, mas quero terminar lutando.
     Os maiores feitos da história foram registrados por aqueles que enfrentaram situações complicadíssimas como pobreza, oposição política, morte e por aí vai. Porém, nenhuma destas barreiras os fez pensar: “É, no meu caso não tem como realizar muita coisa!”, ao contrário, diziam: “Justamente porque a situação é difícil eu preciso fazer algo”. Só precisamos de um médico quando há doença, de um advogado quando há injustiça e de um grande homem no momento que surgem problemas. Se ficar esperando o ambiente perfeito para agir, nunca o fará e será um líder muito parecido com o do seguinte anúncio: “Domador de leões, procura leão manso”. Martin Luther King dizia: “Você não conhece a capacidade de alguém em tempos de conveniência, mas em dias de angustia e dificuldades”.
     O ditado popular diz: “A vida é dura pra quem é mole”. E lembre-se: “Queijo dando sopa é ratoeira. Tudo muito quieto é emboscada. E vida muito fácil é ilusão”.

4-Entender que como vê a si próprio é mais importante do que como vê o problema,     

Nm 13:33 “vimos ali gigantes, e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos”. Mais importante do que aquilo que enxerga na frente, é o que vê dentro de si. E com isto não pense que estou falando de atitude positiva e sim de fé. Atitude positiva é confiar em si. Fé é crer em Deus. Atitude positiva é olhar para o espelho. Fé é avistar Cristo.
     Alguns cristãos focam tanto na doutrina do pecado humano, aquela que diz que eu sou mau, pecador, horrível, que se esquecem da doutrina do Espírito santo habitando em nós. É fundamental sim, saber quem somos. Em Rm 7 Paulo diz: “Miserável homem que sou”, mas ele não para aí, pois no versículo seguinte afirma: “Graças a Deus por Jesus Cristo”. Sou pecador? Sim. Vim do pó? Sim. O vaso é de barro? Sim, mas o tesouro que habita em mim é maior do que todas as minhas fraquezas.
     Saber o que somos em Cristo é o que nos sustenta nas horas difíceis. O diabo te diz: “Você é um gafanhoto. A tanto tempo na igreja e ainda não mudou de vida?”. Quem não sabe da sua identidade, com uma acusação dessas desvia. O que sustenta um líder ou um pastor na hora da crise? Ter consciência do que ele é em Cristo: “As coisas estão difíceis, eu sou limitado, mas não importa, Ele me chamou, Ele é o meu senhor e a seu tempo vai me honrar”.
     “Se tu és filho de Deus transforma pedra em pão”. A maior tentação de Jesus no deserto não foi acerca do pão e sim de sua identidade. Saiba quem você é as questões como suprimento, dificuldades serão fichinha.
     O tamanho do seu inimigo fala do tamanho do seu potencial. Golias era grande, porque Davi era um gigante e o inimigo de Israel era graúdo porque em Cristo eles eram maiores ainda: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças” (I Co 10:13).

5-Ter um coração grato     

Nm 14:37 “esses mesmos homens que infamaram a terra morreram de praga perante o SENHOR”. Ef 5:18 que a gratidão é a porta para o Espírito entrar. Ora, se a gratidão atrai Deus, a ingratidão atrai quem? O diabo.
     Uma das características de pessoas murmuradoras é colocar a culpa das nos outros. Israel Nm 14:2 diz que Israel murmurou contra Moisés: “Estamos aqui e seremos mortos por este gigante por sua culpa. Tú nos trouxeste até aqui”. Primeiro, eles estavam esquecendo que Moisés havia os libertado da escravidão do Egito. Segundo, não foi Moisés que os trouxe, mas eles que vieram. Ele fez o convite, mas vir foi escolha de Israel. Há um ditado que diz: “Uma pessoa não é um fracasso até começar a colocar a culpa sobre os outros”. Imagine que você seja jogado no buraco. Alguns ficam tentando descobrir quem o jogou lá, outros tentam sair de lá. Os derrotados querem achar o culpado, enquanto que os vencedores a solução para os seus problemas. Não chore as injustiças da vida, supere-as.
     Agora, quem tem um coração grato entender: Tudo o que Deus nos dá é bom.
     Certa vez um irmão chegou diante do meu pai e disse: “Pastor, eu sou uma pessoa difícil, eu não sei se o senhor vai conseguir me suportar”. Meu pai lhe respondeu: “Para mim não existe ovelha difícil e sim aquelas que Deus me deu e aquelas que Deus não me deu. E como você está na minha igreja eu me esforçarei ao máximo para te ajudar”
     Você crê que o que tem foi dado por Deus? Onde mora, com quem casou? Então para de falar dizer: “Aí está cidade é cemitério de igreja, tem uma potestade na entrada”, “Ah, esta minha mulher é terrível”, para de infamar a terra, a terra que o Senhor lhe deu. Agradeça mais e murmure menos, aí está o caminho para entrarmos em Canaã.

Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 


Bíblia: Livro humano ou divino?

Ef 5:16 “Remindo o tempo, porque os dias são maus”


   Vivemos dias terríveis! As pessoas querem de todas as maneiras arranjar boas desculpas para correr de Deus. Aquela frase “todos os caminhos levam a Roma” que era referente a uma cidade, agora é aplicada a religião. A idéia deles é: “Não importa por qual religião você tenta chegar até Deus, o importante é que você esteja buscando-o com sinceridade. Se assim fizer, chegará lá”. Ora, isto é absurdo! Jesus disse que ele é o único caminho até Deus e que ninguém vai até o Senhor a não ser através de Jesus. Vivemos dias em que a própria autoridade da bíblia está sendo questionada. Sendo assim, vamos lançar aqui alguns dos fundamentos mais básicos da nossa fé cristã.



1- A bíblia não é apenas um livro histórico, ela é a palavra de Deus

     Alguns dizem que não podem aceitar o testemunho das escrituras já que ele foi escrito por homens. Ora, se é assim eles também não podem aceitar o testemunho de nenhum historiador. Como sabemos que Roma pegou fogo? De que maneira viemos a conhecer a revolução na frança? Através do que sabemos das conquistas do império romano? Ora, através do testemunho de pessoas.
     Sendo assim, se eles não aceitam o testemunho bíblico, porque foi escrito por homens, então desconsiderem também todos os relatos históricos, visto que foram escritos por homens também.
     A bíblia não é um livro científico, e sim espiritual, no entanto nos espanta como os profetas que escreveram os livros a milhares de anos atrás podiam ter conhecimentos que nem os melhores cientistas da época podiam nem ao menos imaginar. Por exemplo, Isaias diz “Ele é o que está assentado sobre a redondeza da terra” (Is 40:22). Naquela época todos acreditavam que a terra era plana, só em 1500 da nossa era, após as viagens de Magalhães é que o homem começou a se abrir para ver que a terra era redonda. Mas como Isaias sabia disso? Deus o revelou.
     Jó 26:7 diz que “ele estende o norte sobre o vazio e faz pairar a terra sobre o nada”. Como ele sabia disso? Revelação. Luis Pasteur, um famoso bacteriologista francês disse: “Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima”.
     Outro fato que comprova a divindade da bíblia são as suas profecias. Só em Jesus se cumpriram mais de 300 profecias. E o que surpreende são os detalhes da previsão: onde Jesus nasceria, viveria, como morreria… O cientista Peter Stone diz que a probabilidade de somente oito dessas trezentas profecias se cumprirem por acaso é de 10 seguido de 17 zeros. Ou seja, 1 em 100.000.000.000.000.000.
     A revista cientifica Superinteressante 06/2000, página 17, declarou: “Milhares de analises semelhantes aos testes usuais de paternidade convenceram o geneticista Michael Gammer, da universidade do Arizona, de que a história dos judeus se passou exatamente como a bíblia conta.
     Alguém disse: “se o maior e mais influente livro de todas as épocas – um livro que contém a mais bela literatura e o mais perfeito código moral já imaginado – foi escrito por um bando de fanáticos, então há alguma esperança de encontrar sentido e propósito neste mundo?”

2- Jesus é Deus

     Qualquer ímpio, por mais estúpido que seja, ao ler Jesus, terá que concordar que seus ensinos morais são maravilhosos. E por isto, muitos declaram que ele foi um bom homem, um grande mestre, mas apenas isto, nada de Deus. C.S Lewys diz que não é possível fazer tão declaração, porque Jesus dizia que era Deus e se ele não era deus ele não podia ser uma boa pessoa. Sendo assim, ao se deparar com Cristo, que se auto-intitulava como deus, teremos apenas três opções: Ou ele era mentiroso ou ele era louco ou então ele era Deus.
     As pessoas querem matar Deus para poderem dar vida aos seus pecados. No sl 14:1 se diz: “Diz o insensato no seu coração: não há Deus. Corrompem-se e praticam abominação”. Qual é o resultado de não crerem em Deus? Corrompem-se.

3- A mensagem do cristianismo é sobre a eternidade

     Quem não crê na existência de Deus logicamente conclui que não há inferno. John Lenon disse em sua musica “Imagine”, a seguinte frase: “imagine se não houvesse céu e nem inferno”. Ele achava que esta mensagem de eternidade nos impedia de viver melhor aqui. E se não há céu, transemos, fumemos, vamos curtir a vida, pois amanhã morreremos.
     Os falsos profetas também aderem ao discurso de Lenon, pois para eles o que importa é o quão rico, prospero e bem sucedido eu seja aqui na terra, se esquecendo assim de uma das frases mais profundas de Jesus: “Meu reino não é deste mundo”.
     A mensagem do cristianismo não é para reformar o mundo e torná-lo um lugar melhor para viver. Cristianismo, não veio melhorar o mundo, e sim anunciar o seu fim. Jesus não diz que o mundo melhoraria, e sim pioraria, pois anunciou que nos fins dos tempos, haveria guerras, fomes… fomos ensinados a orar por um mundo melhor, mas Jesus declarou que deveríamos clamar pelo fim do mundo. No Pai Nosso, Cristo nos ensinou a orar: “venha o teu reino”.
     Por isto, eu te pergunto: você está vivendo para a eternidade?


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 


Entrega Total

  Quando um homem se auto-promove ou exige adoração de outro homem nós chamamos isto de pecado. No entanto, Deus diz por toda a bíblia que fez tudo para glorificar, exaltar o seu nome e também ordena que todo ser que respira o adore. Sendo assim, por que Deus faz isto e não peca? Porque ele é perfeito e bom.

     Imagine que eu descobrisse a cura para uma doença que afetou toda a humanidade. E mais, percebi que a cura está no meu sangue e na minha pele, de modo que o remédio sou eu mesmo. Se isto fosse verdade, eu deveria colocar meu nome no outdoor, me esconder seria pecado. É exatamente isto o que acontece com Deus. Ele tem que se exaltar, pois nele está a salvação e a cura para o homem.


     Gn 22 é a história de Abraão sacrificando Isaque. Este texto põe em cheque toda a teologia predominante na igreja evangélica, a de que Deus existe pra realizar todos nossos sonhos. Abraão sacrificando seu filho nos mostra que nós existimos pra glorificar a Deus e colocá-lo em primeiro lugar. O convite atual de muitos evangélicos é: “Venha para Jesus e terás família, dinheiro, sucesso”, sendo que o de Jesus foi: “Se quiser me seguir, aborreça pai, filho, amigo, dinheiro e até a própria vida”.
     É comum vermos alguém dando um testemunho de cura ou milagre financeiro e pensando que isto faz dele um cristão. MT 5:45 Jesus diz que libera chuva até sobre os ímpios.Lc 17 diz que Deus curou 10 leprosos mesmo 9 deles sendo ímpios. O que estou querendo dizer é que até ímpios recebem bênçãos, mas só crentes verdadeiros entregam as bênçãos que receberam.
     Ser cristão implica em renuncia total (Dt 13:6-9). Cristianismo não começa ao crer que Deus pode te dar tudo e sim quando acredita que Deus é o seu tudo. Qualquer um tem fé para Deus salvar seu filho, mas quantos possuem fé para entregar seu filho a Deus? Muitos crêem que Deus é grande para salvar suas famílias, mas quantos crêem que Deus é grande o bastante para ser maior que sua família?
1-Tudo o que se coloca entre você e Deus será consumido

     Tg 4:5 diz que o Espírito anseia por nós com ciúme. Uma Irma chegou na igreja e disse: “Se Jesus não fizer meu marido voltar para casa, eu não vou ficar na igreja”. Eu lhe respondi: “Você está perdendo seu tempo aqui, pois seu Deus não é Jesus, é o seu marido”.
     O nome Isaque significa riso. Quando Deus pede Isaque de Abraão, o que ele está dizendo é: “Abraão, o motivo de sua alegria sou eu”. Por que há tantos crentes infelizes? É que o motivo de riso deles é o filho, o trabalho, a carreira… Deus não muda, quem faz dele sua fonte de alegria, vai ter motivo de sobra para dar gargalhadas.
2-Obedecer a Deus implica em fé

     Hb 11:19 diz que Abraão cria que Deus era poderoso para ressuscitar Isaque. Hb 11:6 diz que sem fé é impossível agradar a Deus.
     Por que um pastor deixar de pregar a mensagem correta do evangelho? Ele não tem fé para crer que pregando a palavra mesmo, Deus vai honrá-lo. Por que uma moça não espera o cara certo para se casar, antes se agarra a qualquer pedaço de toco que aparece? Não possui fé para crer que Deus vai lhe suprir. Obedecer a Deus é se colocar na dependência do sobrenatural.
3-Você terá tudo de Deus quando Deus tiver tudo de você

     Abraão deu seu único filho, Deus então lhe deu milhões de filhos. Mt 19:29 diz que aqueles que abriram mão de tudo por causa de Jesus, receberão muitas vezes mais. Sl 37:4 diz que se você fizer de Jesus o objeto do seu desejo, então ele satisfará todos os seus desejos.
     O problema é que o verdadeiro desejo de muitos crentes é a prosperidade. Jesus é apenas a força, a coisa que lhes dará o seu verdadeiro Deus. Não podemos apenas ser santos para sermos abençoados, devemos ser santos para glorificar a Deus, ainda que ele não nos desse nada.
     Dar tudo para Deus implica em estar disposto a fazer a vontade de Deus, custe o que custar. Jesus em Jo 4:34 disse que a sua comida consistia em fazer a vontade de Deus. As ilustrações bíblicas a nosso respeito são fortes. Somos escravos, soldados. Ora escravo e soldado não possuem vontades, a vontade dele é fazer a vontade do seu Senhor ou comandante.
     Se você for assim, totalmente entregue a vontade de Deus, então você vai ter tudo de Deus. Ao me ouvir dizendo isto, talvez você se pergunte: Mas Paulo esteve totalmente disposto a fazer a vontade de Deus e ainda assim terminou pobre, sozinho numa cadeia, como um herege e decapitado, ainda assim você confirma o que está dizendo? Sim, primeiro dizendo que: quem tem tudo de Deus e nada mais não é muito diferente de quem possui Deus e tudo o mais. Ou seja, o que você tem em Deus é maior do que aquilo que você não possui na vida. Segundo, respondo um versículo que diz: “Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes dos homens” (I Co 15:19).
     Quem disse que a vida acaba aqui? Lembra que Jesus disse que o seu reino não era deste mundo? Lázaro morreu pobre e doente, mas ressuscitou rico e na glória. Você precisa entender que esta vida, 70 anos, não é nada comparado com a eternidade (II Co 4:17). Aqueles crentes que foram privados de algumas coisas aqui, o foram porque Deus tem coisas muito maiores para eles lá.


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 


Viva para a eternidade!


      I Co 15:19 “Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens”.

     O contexto deste versículo é que alguns falsos mestres estavam semeando a mentira de que não existia ressurreição (v.12). É impressionante como a bíblia é atual, o problema desta igreja há mais de dois mil anos é o mesmo de muitos cristãos hoje que só conseguem enxergar o aqui e agora. Um dos grandes responsáveis por esta cultura no meio da igreja é a praga da teologia da prosperidade que inverte os valores cristãos. Enquanto Paulo diz que devemos buscar as coisas lá do alto (Cl 3:1) a Teologia da prosperidade nos promete que seremos reis neste mundo. No momento em que Jesus afirma que devemos ajuntar tesouro no céu, a Teologia da prosperidade garante que Deus quer nos encher de tesouro na terra. Enquanto que Jesus avalia nossa espiritualidade com base em nosso caráter, declarando que se formos como Cristo, seremos perseguidos e odiados, a Teologia da prosperidade diz que você só é de Deus quando for bem sucedido aos olhos deste mundo, com dinheiro, posição e status.
     Há muitas pessoas que vivem dizendo: “Não importa o que você crê, e sim o que faz”. Ora, isto é um absurdo, porque eu só ajo com base no que creio e a minha crença é o que move a minha atitude. Quem diz isto, na realidade, está tentando acabar com debates doutrinários, que eles julgam irrelevantes, e nos fazer calar para que não preguemos a mensagem do evangelho.



     Deixe-me dar apenas um exemplo para mostrar que toda crença influencia a nossa atitude. No inicio da igreja primitiva, havia uma seita cristã chamada gnosticismo. Eles diziam que a matéria era má, portanto Jesus não poderia ter vindo em carne. “E daí, se Jesus veio em carne ou não, isto não me interessa, o importante é que eu ame as pessoas e não fique discutindo doutrinas” dirão os céticos. O problema é este, toda crença implicará em alguma reação. No caso dos gnósticos é o seguinte: alguns deles se tornaram ascetas porque pensavam: “a carne é ruim, então tudo que diz respeito ao corpo, como sexo, comida, enfim prazer deve ser evitado”. Por outro lado, alguns gnósticos se tornaram libertinos, pois pensavam: “A matéria é ruim, o que importa é o espírito. Sendo assim, façamos o que quisermos com o nosso corpo, sexo a vontade, prazeres e orgias, porque no final é o espírito que importa”.
     Da mesma maneira, a crença nos coríntios e dos cristãos de hoje que se esquecem da ressurreição, da eternidade implicará em muitas reações nas nossas vidas.


1-Quem não crê na eternidade vive em pecado

     v.17 “E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados”. O sentido aqui é: se Jesus não morreu vocês ainda estão no pecado, ou seja, vão para o inferno. Porém, também é correto dizer que quem não crê na eternidade não se santifica.
     John Lenon escreveu em sua música: “imagine se não houvesse céu e nem inferno”. Resultado? Sexo livre e drogas. I Pd 2:11 “exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais”. Qual é a pessoa que tem força moral o bastante para fugir das tentações sexuais? Quem é peregrino aqui, e sabe que Deus tem outros prazeres para ele em sua casa no céu.
     Não, tem jeito; nossa moralidade está intimidade ligada com a nossa noção da eternidade. Para tentar enganar a si mesmo e pecar sem culpa, o homem tenta inventar argumentos p/ aprovar seu pecado. Hoje talvez eles estejam confiantes em seus argumentos, mas eu me pergunto: na hora da morte, a luz da eternidade, será que eles estariam tão seguros com os seus pecados?
2-Quem não crê na eternidade não pode ser útil a Deus em sua obra

     J.Piper: “As únicas pessoas que prestam para esta vida são aquelas tão radicalmente focadas naquela vida”
     No começo da minha vida cristã, aprendi que: “Seja fiel e colha os frutos aqui”. Ao ler a bíblia, comecei a perceber que este ensino está completamente errado. Tudo o que plantar eu vou colher, mas a maioria não é aqui. Como diz ICo 15:19, como disse Jesus “meu reino não é deste mundo”. Como está escrito em Hb 11:39-40, Ec 10:5-7. E mais, além de não recebermos tudo aqui, há muitas coisas que se recebermos aqui, não recebemos lá (Mt 6:5, Lc 14:13).
     Esta fé vai ser a base para fazermos a vontade de Deus, pois o que nos possibilita permanecer sendo fieis a Deus na hora em que formos zombados e perseguidos por isso? Só a idéia de que o que estamos fazendo não é em vão, que na glória seremos recompensados.
     Paulo disse que “lutou com feras”. Quem vai pregar a verdade mesmo correndo o risco de perder dinheiro, prestigio, status ou até a própria vida? Quem vê eternidade. Paulo disse “dia a dia morro”. Quem vai abrir mão de coisas boas neste mundo para que a obra de Deus avance? É o homem que só pensa em conforto e dinheiro? Não, é aquele que vê a eternidade e por enxergar as glórias de lá está disposto a abrir mão das glórias daqui.
     Quer ser reprovado por Deus em sua obra? Não é necessário adulterar ou pecar, apenas sonhe com as coisas deste mundo: elogio dos homens, conforto, status e dinheiro.

Não há esperança para este mundo

     Alguns homens pregam a seguinte mensagem: “O evangelho vai mudar o mundo”. Eu sei que eles são bem intencionados, só não estão bem direcionados. A mensagem de Jesus nunca foi de reforma do mundo, e sim do fim do mundo. Ele não disse: “Arrependei-vos porque está próxima a revolução deste mundo” e sim, arrependei-vos, “porque está próximo é o reino dos céus”. Ap 21:1 diz que tudo referente a este mundo vai passar. Você quer mesmo investir a sua vida neste mundo que está afundando? Olhe para a história e veja; o mundo não está melhorando como alguns tentam nos dizer, ele está é piorando. irmão, viva para a eternidade!
     Sempre houve muito debate sobre a vinda de Jesus. Eu nunca me importei com estes debates tolos. Por que a pergunta mais importante não é “Como será a vinda de Jesus? Com trovão ou relâmpago? e sim: Eu estarei pronto para quando ele voltar?


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin 


Ídolos

O primeiro mandamento nos ordena a adorar somente a Deus, de modo que quaisquer outros deuses são chamados pelo Senhor de ídolos. Mas o que é um ídolo? A palavra do Senhor sempre se refere a eles como: obra das mãos de homens (Sl115:4). Mas se a bíblia também é clara em afirmar que só há um Deus (Is 45:5) não seria tolice ordenar a proibição da adoração a outros deuses, já que eles não existem? Não! Pois é sem sombra de dúvida que eles permeiam somente a cabeça dos homens, de tal modo que todo deus que não é o Senhor é uma mentira, mas como os homens acreditam nesta mentira, eles precisam renunciar a ela.



A maioria de nós quando fala em ídolo pensa logo nas imagens feitas de ouro e prata, no entanto ídolo é também ter uma imagem errada do Deus verdadeiro. Ou seja, a pessoa diz adorar a Jesus, mas o Jesus que ela adora não tem nada a ver com o Jesus da bíblia, antes é algo criado pelas mãos dos homens, ou melhor, pela mente humana. Ao pregar contra a idolatria reinante em Atenas, Paulo definiu os ídolos assim: “não devemos pensar que a divindade é semelhante ao ouro, à prata ou à pedra, trabalhados pela arte e imaginação do homem” (At 17:29). Se fazer imagens é um ídolo, conceber um Jesus diferente do descrito na escritura também é. Um pastor estava pregando sobre arrependimento, mostrando que a conseqüência daquele que vive no pecado é experimentar da morte eterna, também conhecida como inferno. Após o termino da pregação, uma pessoa foi falar com o pastor nos seguintes termos: “Eu sirvo a Jesus, mas não acho que ele mandará alguém para o inferno, já que ele é bom.”. Sim, este rapaz servia a Jesus, mas um Jesus que só existe na sua cabeça.
Não importa muito como você chama um ídolo, seja de Maria, Alá, Pedro ou até mesmo de Jesus. Ele não deixou de ser ídolo, apenas porque você trocou o nome. Ao se revelar a Moisés, Deus disse “Apareci a Abraão, a Isaque e a Jacó como Deus Todo-Poderoso; mas pelo meu nome, O SENHOR, não lhes fui conhecido” (Êx 6:3). A palavra Todo-Poderoso em hebraico quer dizer El Shadai, e a palavra em letras maiúsculas SENHOR significa Iavé. As pessoas podem chamar você de alguém alegre, forte, inteligente, mas tudo isto são suas características, entretanto você tem um nome, seja ele João, Ricardo ou qualquer outro. El Shadai, El Shalom, eram todos os atributos de Deus e assim ele era chamado pelo seu povo, no entanto, se quisermos saber o nome de Deus, ele é este, O SENHOR. Na passagem citada acima, Deus diz que não tinha revelado seu nome a Abraão, mas mesmo sem conhecer o nome verdadeiro de Deus, Abraão nunca deixou de servir ao Deus verdadeiro, enquanto que muitos, mesmo estando cientes do nome do Senhor hoje, que é Jesus, vivem em trevas, pois desconhecem a pessoa de Cristo. A rosa não perde seu perfume mesmo que lhe chamem de outro nome. Contudo, achar que carregar um espinheiro no peito lhe trará boas fragrâncias somente porque você o denomina como rosa é tolice.
A verdade é que se os atenienses da época de Paulo levantaram uma altar “ao Deus desconhecido”, uma infinidade de cristãos contemporâneos estão erigindo um altar ao “Jesus desconhecido”. Foi o que Cristo disse a mulher samaritana: “Vós adorais o que não conheceis; (João 4:22). Isto é o mesmo que dizer que os samaritanos não conheciam o nome de Deus? Claro que não! Já que os samaritanos eram judeus -judeus meio misturados com as culturas gentílicas, vale-se lembrar-, que conheciam todo o histórico de libertação efetuado pelo SENHOR, o que Jesus estava querendo dizer era: “Vocês conhecem o nome, mas não sabem nada do caráter do Pai”.
É por isto que é muito provável que um índio lá dos cafundó do Judas que talvez nunca ouviu o evangelho por boca de um missionário, que chama Jesus de “Aiao”, ou seja lá o que for, mas serve ao Deus verdadeiro entre no reino dos céus, enquanto que muitos de nós os “iluminados” que se julgam detentores da revelação não sejamos dignos nem ao menos de desatar as sandálias destes santos.
O que devemos fazer então? Vou deixar que Pedro nos responda assim como fez em AT 2 quando as pessoas fizeram a mesma pergunta a ele: “Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o evangelho para que destas coisas vãs vos convertais ao Deus vivo”. Sim, abandonemos o Jesus ídolo e busquemos o Jesus vivo. E onde ele está? Na palavra de Deus e não na cabeça dos homens.


Autor: Pr. Rodrigo David Mocellin